sábado, 21 de janeiro de 2017

Qual Era? Quinta? Sexta?

Era sexta. Já tivemos outro nome antes do QEQS, mas não foi por escolha nossa. Nos chamavam de "Sexta C". Turma da bagunça, daquela que senta no fundo e fica jogando bolinhos de papel quando a professora fica de costas. Bem maduro da nossa parte.

No espírito de 6ta-C, faremos uma brincadeira entre os membros da banda, cujo resultado será revelado semana que vem. 

Sabem aquelas correntes chatas que todo mundo já cansou de receber no Facebook? Bom, vamos fazer uma nossa, dentro da banda. Hoje cedo vi uma que era sobre irmãos, onde tinha que responder (dentro dos irmãos que cada um tem) quem é  mais mimado, mas estudoso, mais pilantra, etc, etc. Essa corrente trouxe a ideia de fazer o mesmo questionário (ou parecido) entre os membros da banda. Todos vamos responder, e no fim veremos se há coincidências no jeito que cada um enxerga o outro, hehe..

Voltando para as notícias desta semana, o João não conseguiu participar do ensaio; cada vez que alguém falta, o ensaio não é a mesma coisa. Temos uma vibe muito legal quando estão todos no palco, e dá pra perceber na hora se falta algum de nós. Hoje temos nosso jeito de tocar, e nos conhecemos o bastante para mandar "sinais" e arrumar alguma ou outra entrada que por acaso não rolou como devia. Toda hora rola uma virada na bateria, ou um acento específico, um riff pra chamar a atenção, uma frase na voz que acaba dando chão para o resto, e sustentando a música, compasso a compasso. Na verdade, é a sensação de se ajudar a carregar a música, entre todos.

Nesta semana também, fizemos um flashback por sugestão do Guilherme, nosso baixista. Algumas temporadas atrás fizemos algumas músicas grunge, entre elas, "Like a Stone", do Audioslave. Essa música já estava soterrada na memória, mas o Gui a trouxe de volta para superficie, para nosso desespero geral. Desespero, porque ninguém lembrava lhufas dessa música. E desespero, porque era uma música que, propositalmente, tocávamos em instrumentos diferentes. Eu, como batera, ia pro baixo. O Artur, largava a guitarra e ia pra batera. E assim sucessivamente. 

Bom, lá fomos pro spotify, ouvir a música de novo, ver como era. Caçamos os tabs, e bora tocar. Eu, enquanto tocava a bateria,  fiquei gritando o mapa feito um desmiolado.

- VERSO!
- REFRÃO!
- VOLTOU!
- SOLO!

Solo. Acabei cantarolando o solo, bem no estilo do Jack Black, quando faz as notas da guitarra com a boca, como na música "The Metal" do Tenacious D. Temos até uma gravação bem vergonhosa e ridícula desse solo, impublicável. Mas o que importa é que deu certo, funcionou, e com todo o suor deixado no palco, mais uma música estava nascendo.


Matando "Like a Stone"...

Faltam somente três músicas para fechar o setlist "oficial". Por esse motivo, o setlist "alternativo" anda meio largado. Eu mesmo faz tempo que nem ouço as músicas do alternativo. Mas está aí, guardado na memória, como estava Like a Stone. Eu sei que é só começar a tocar de novo, que em duas ou três passadas já volta para os tempos áureos.

Mano, vou parar de escrever que a mão tá coçando. É falta de baquetas, preciso tocar.

Nenhum comentário: